What we do....

Training

Hier findest du eine Übersicht der aktuellen Trainingszeiten

Musik

Liedtexte zum Lernen

Über Muzenza Capoeira

Infos über das Cordasystem, die Bateria, Regelwerk etc.

DIe Trainer

Lippstadt, Selm, Werne

Professor Japonês

William Gomes-Paschen

Hagen

Graduado Bolacha

Khalid Maghames

Neheim

Graduado Cascata

Thomas Reher

Capoeira is not what we do, it is what we are!

About us

Antonio Carlos de Menezes, nasceu em Laranjeiras – Sergipe, e com 3 meses de idade, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro. Teve o seu primeiro contato com a capoeira aos doze anos de idade, quando cursava a 6ª série no colégio Evangélico em Ramos ao lado da Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense. Jogava muita bola por ali, e havia um capoeirista chamado China, que sempre encrencava, e batia em todos. Então, um dia, resolveu treinar capoeira, para não apanhar mais do China, e de mais ninguém.

O primeiro mestre, foi um exemplar do livro Capoeira sem Mestre,
comprado pelo amigo Nelson, e juntos começaram a treinar os primeiros movimentos, no morro do Alemão ( Ramos – RJ ), local onde Nelson morava. Passado algum tempo, tomaram o gosto pela arte, e começaram a assistir as rodas do mestre Mintirinha, logo de início identificaram-se com o estilo de luta de seu irmão, Paulão, que iniciava suas aulas no clube do Bolinha.
Como não tinham dinheiro para pagar a academia, juntaram cobre, chumbo, garrafas velhas, jornal, e venderam, conseguindo juntar dinheiro suficiente para pagar 3 meses de aula antecipados. Como isso era raro na época, Paulão pensou que os meninos eram ricos dando assim o apelido de Conde e Burguês.
Mais tarde, o amigo Conde acabou afastando-se da capoeira.
Mestre Burguês, depois de passar por muitas dificuldades, como frio, fome, dificuldades financeiras, preconceito e discriminação, conseguiu superar vários obstáculos e aos poucos instalar e fixar o Grupo Muzenza no sul do Brasil.

Fundou a Federação Paranaense de Capoeira em 1985, foi um dos fundadores da Confederação Brasileira de Capoeira em 1992, fundou e é o presidente da Superliga Brasileira de Capoeira em 1998, publicou o livro O estudo da Capoeira, em 1978; publicou o livro Cânticos da Capoeira em 1982. Tem 22 CDs de capoeira editados, sendo um deles gravado no Canadá. Em 1995, criou um jornal com a finalidade de resgatar a tradição da capoeira e ajudar todos os capoeiristas, e ministrou cursos em mais de 30 países.

  • Humildade
  • Serenidade
  • Segurança
  • Confiança
  • Auto-estima
  • Equilíbrio Emocional
  • Respeito para com todo e qualquer semelhante
  • Personalidade formada e indesviável
  • Como bom esportista, deverá selecionar companhias, assim como ambientes a frequentar; fugindo sempre das esquinas, de vícios e evitando toda e qualquer ação que venha depor contra a boa formação social e boa conduta.
  • Jogos de azar, elemento de deformação das finalidades esportivas
  • O capoeirista não se difere do homem comum em todos os campos da vida
  • A briga não deve constar no diário de um bom capoeira
  • A você, discípulo da Muzenza, confio o nome e a honra de nossa entidade e da capoeira.

A bateria do grupo Muzenza, é composta por 3 berimbaus (berra-boi, médio e viola), dois pandeiros de couro e um atabaque de couro. Os berimbaus sem pintura, de madeira Biriba ou similar, medindo 8 palmos, as baquetas devem ser de madeira, lixadas e medir aproximadamente 40cm de comprimento.

As cabaças devem ser preparadas, lixadas e envernizadas, a corda do berimbau deve ser tirada do pneu do carro, sem queimar o pneu. Os dobrões devem ser de bronze ou similar.

Os pandeiros são de madeira e de couro com dez polegadas.
O atabaque deve ser de madeira, encourado com couro de cabrito ou boi, de cunha de madeira para ser afinado, e com pé de madeira.

Os instrumentos devem ser guardados em capas de couro ou similar.

 

Grupo Muzenza tem como Objetivo Direto, difundir a capoeira como filosofia principal de seu trabalho, seja buscando o desenvolvimento do nível técnico, teórico e didático-pedagógico da capoeira como arte, luta, cultura, profissão e filosofia de vida; procurando resgatar a valorização dos verdadeiros Mestres velhos, como representantes autênticos da manifestação cultural genuinamente brasileira.

Procurando ainda contribuir para a formação de novos profissionais da capoeira, baseado no respeito, disciplina, socialização, e na liberdade de poder se expressar como cidadão na sociedade.
Procurando o engrandecimento do caráter, dignidade e valorização pessoal. O Grupo Muzenza procura transmitir aos seus seguidores a capoeira como arte-luta e manifestação de um povo que se expressa através da liberdade e tradições.